Luciana Genro

“Chega de meios direitos. Queremos igualdade por inteiro”, disse Luciana Genro em debate pela causa LGBT

03 de setembro de 2014 21h49

Por Redação #Equipe50

Crédito: NINJA

Crédito: NINJA

“Pode deixar comigo. Eu vou colocar o dedo na cara deles e dizer que já chega de tempos medievais, já chega de tempos de trevas. É hora de luz, de igualdade e de mais direitos. Queremos o reconhecimento em lei do casamento civil igualitário, queremos a criminalização da homofobia e educação nas escolas”, disse a candidata do PSOL à Presidência da República, Luciana Genro, nesta quarta-feira (3), durante o “Desafio LGBT Eleições 2014”, evento que provocou todos os presidenciáveis a se comprometerem com as causas da população LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros), que têm sido sistematicamente deixadas de lado a favor do fundamentalismo religioso.

No evento, que ocorreu no vão-livre do MASP (Museu de Arte de São Paulo), Luciana disse que este processo eleitoral é uma grande oportunidade para fazer avançar a luta do movimento. “Os homofóbicos são tão irracionais que suas colocações acabam contando a nosso favor. O que eles dizem geram um sentimento de solidariedade com a nossa luta. Aposto que maioria do povo, inclusive os evangélicos, não concordam com o que diz [Silas] Malafaia ou Everaldo, [presidenciável do PSC]”, afirmou a candidata.

Crédito: NINJA

Crédito: NINJA

Os movimentos Pedra no Sapato, Juntos, RUA e Anel e os candidatos a deputado federal Bill Santos e a deputado estadual Todd Tomorrow, ambos do PSOL-SP, resolveram promover o debate após Marina Silva, candidata do PSB, recuar e retirar de seu programa de governo trechos fundamentais que garantiam os direitos da população LGBT e combatiam a discriminação.

A presidenciável do PSOL ainda chamou a plateia a apoiar as candidaturas que defendem a causa e a denunciar os omissos. “Temos que nos unir e denunciar as candidaturas do sistema. Os três gêmeos siameses — Dilma, Marina e Aécio — ao não se posicionarem, acabam contribuindo para a disseminação do preconceito e para que os direitos da população LGBT continuem sendo violados. Com suas ações e omissões, eles são cúmplices das mortes que ocorrem todos os dias”, declarou Luciana.

Cartunista Laerte Coutinho está com Luciana Genro

Crédito: Guilherme Prado/PSOL

Crédito: Guilherme Prado/PSOL

Antes de Luciana, Laerte Coutinho, cartunista e ativista, teve a palavra e declarou seu apoio total à candidatura do PSOL. “Voto na Luciana no primeiro e no segundo turno. Viva a liberdade!”, disse.

Além de Luciana e Laerte, participaram do debate Zé Maria, presidenciável do PSTU, Daniela Andrade e Luiz Uchoa, ativistas transexuais, e Majú Giorgi, ativista do grupo Mães pela Igualdade.