Luciana Genro

Luciana Genro: “Nós escolhemos o caminho da luta” em Santa Maria/RS, sua cidade natal

29 de agosto de 2014 23h40

Por Redação #Equipe50

Crédito: Divulgação PSOL

Crédito: Divulgação PSOL

A candidata do PSOL à Presidência da República, Luciana Genro, cumpriu intensa agenda de campanha em Santa Maria, sua cidade natal, localizada na região central do Rio Grande do Sul, nesta sexta-feira (29/08). Luciana realizou um comício relâmpago no Centro, às 12h, visitou veículos de comunicação, visitou à ocupação urbana Nova Santa Marta e dialogou com estudantes do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA).

A recepção à Luciana Genro em Santa Maria foi bastante calorosa. A todo momento, jovens, adultos e idosos paravam a candidata para tirar fotos, conversar e manifestar apoio. “Além de eu ter nascido aqui, a cidade carrega toda a história da minha família. Santa Maria pode esperar de mim um governo voltado aos interesses da maioria da população, preocupado com o desenvolvimento desta região do estado”, disse.

Ocupação Urbana

Às 16h30min, a candidata visitou a ocupação urbana Nova Santa Marta, que possui 25 mil famílias. A ocupação é histórica e remonta ao início da década de 1990, quando famílias articuladas junto ao Movimento Nacional de Luta pela Moradia (MNLM) ocuparam o terreno de uma antiga fazenda. A área foi desapropriada e já pertence ao município, mas até hoje as famílias não possuem os títulos de suas residências.

É também no Nova Santa Marta que fica localizada a Escola de Ensino Fundamental Adelmo Simas Genro, nome dado em homenagem ao avô de Luciana, que faleceu em 2003. Em visita ao jornal local A Razão, Luciana Genro encontrou um texto escrito por seu avô em maio de 2003 e publicado no veículo, onde Adelmo Genro defende a postura política da neta, que havia anunciado o rompimento com o PT.

Críticas à política econômica

Crédito: Divulgação PSOL

Crédito: Divulgação PSOL

Durante o comício relâmpago, realizado na Praça Saldanha Marinho, Luciana criticou a Bolsa Banqueiro, que é a forma como qualifica a destinação de 40% do orçamento do país para o pagamento da dívida pública. “O governo escolheu se unir aos interesses do capital financeiro e aplicar uma política econômica que faz com que os bancos lucrem cada vez mais”, disse.

Luciana reforçou que o PSOL foi criado porque não aceitou as escolhas que o PT fez ao assumir o governo federal, em 2003. “Nós escolhemos o caminho da luta, o caminho mais difícil. Porque não queremos atalhos que nos façam ficar iguais aqueles que nós combatemos”, comentou.

A candidata do PSOL comparou os três candidatos que estão à frente nas pesquisas de intenção de voto, observando que todos defendem a manutenção do tripé macroeconômico que beneficia o sistema financeiro, embora possuam diferenças entre si. “Sabemos que o PT não é igual ao PSDB, mas, na essência, ambos adotam uma política econômica que mantém o domínio dos bancos e a concentração de renda”, constatou.

Para ela, Marina Silva não representa a nova política, pois possui em sua coordenação de campanha uma banqueira do Itaú e se compromete com a mesma pauta econômica defendida pelo PSDB. “A Marina não é a terceira via que ela tenta parecer. Ela é a segunda via do PSDB. Marina, com sua bela história de vida, tenta passar a ideia de que faz uma nova política, mas infelizmente não faz. Ela se aliou com os economistas do PSDB. É a política do PSDB que a Marina está reproduzindo, ainda mais dura no ajuste contra os trabalhadores do que a política implementada atualmente pelo governo do PT”, comparou.

Aposentados

Luciana Genro também falou sobre suas propostas para os aposentados, já que foi bastante procurada por eles em Santa Maria. “Vários aposentados me pararam aqui dizendo que ouviram nosso programa eleitoral, onde defendemos o fim do fator previdenciário e a vinculação do reajuste das aposentadorias com o salário mínimo. Os aposentados já não conseguem mais sobreviver porque estão perdendo poder aquisitivo graças a essas maldades que o Fernando Henrique fez e que, na época, o PT foi contra. Quando chegou ao poder, o PT se recusou a mudar e manteve o fator previdenciário e a desvinculação do salário mínimo com as aposentadorias”, recordou.

Sábado, dia 30

Por fim, no final da tarde Luciana Genro e a militância do PSOL realizaram uma atividade de panfletagem em frente ao campus da UNIFRA e dialogaram com os estudantes. Neste sábado (30/08), a candidata participa de um debate sobre conquista de direitos e manifestações com o jurista, advogado e professor universitário Salo de Carvalho. O ato acontecerá às 16h, no auditório do Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (SIMPA), na Capital gaúcha.