Luciana Genro

Abaixo a Homofobia e o Racismo

01 de abril de 2011 10h06

Moção de Repúdio ao Deputado Federal Jair Bolsonaro (PP), proposta pelos vereadores Fernanda Melchionna e Pedro Ruas, ambos do PSOL, foi aprovada por unanimidade na Câmara Municipal na tarde de hoje (30). A moção será encaminha a todos os deputados federais, à Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal e à Secretaria de direitos humanos.

Fernanda Melchionna e Pedro Ruas propuseram a Moção de Repúdio motivados pelas declarações preconceituosas feitas no dia 28 deste mês, num programa de TV, veiculado pela Bandeirantes, quando o deputado federal Jair Bolsonaro, notório defensor do regime militar e de temas polêmicos como a pena de morte, desta vez ultrapassou todos os limites das polêmicas de opinião. No programa acima citado, o deputado Bolsonaro fez declarações racistas e homofóbicas. Perguntado pela cantora Preta Gil se “o que ele faria se seu filho se apaixonasse por uma mulher negra” o deputado do PP do Rio não titubeou, respondendo: “Não vou discutir promiscuidade com quem quer que seja. Não corro esse risco porque os meus filhos foram muito bem educados e não viveram em ambientes como lamentavelmente é o teu”. Para qualquer pessoa que prima pelo bom senso, isso se configura um crime de racismo e deve ser tratado como tal por todas as instâncias da sociedade civil e do poder público democraticamente constituídos.

Infelizmente, ainda não satisfeito com essa deplorável declaração racista o deputado Bolsonaro segue as respostas preconceituosas. Quando perguntado o que faria se tivesse um filho gay, Bolsonaro afirma: “Nem passa pela minha cabeça esse problema, meus filhos foram bem criados e sempre tiveram um pai presente”.

As declarações racistas e homofóbicas do deputado Jair Bolsonaro enquadram-se, em quebra de decoro parlamentar.

Fonte http://www.fernandapsol.com.br/