Luciana Genro

Ato no dia 6 defende candidatura de Luciana

03 de dezembro de 2010 08h50

Convite para o ato

A deputada federal Luciana Genro concedeu nesta sexta-feira, 3, entrevista ao programa Atualidade, da rádio Gaúcha, em que falou sobre o ato público da próxima segunda-feira, 6 de dezembro, pelo seu direito de concorrer à vereança de Porto Alegre em 2012. Luciana está impedida de concorrer a qualquer cargo em instância inferior a de governador devido à eleição de seu pai, Tarso Genro.

“Fui a segunda deputada federal mais votada em Porto Alegre, foram mais de 60 mil votos, dos quase130 mil que tive no Estado. Peço que a Justiça Eleitoral julgue o meu caso concreto e não apenas interprete a letra fria da lei. Tenho 16 anos de mandatos, independentes da trajetória política do meu pai. Meu partido nem faz parte da base de sustentação de seu governo.”

O jornalista André Machado lembrou ainda que a legislação que impede a candidatura de Luciana em 2012 não intimida a família Sarney a se perpetuar como oligarquia política. “O espírito da lei não alcançou seu objetivo. Essas oligarquias existem. A lei não inibe porque os políticos burlam”, comentou a deputada. O senador José Sarney concorre pelo Amapá, pois pela lei seria inelegível em seu estado, o Maranhão.

Ato

Para defender a candidatura de Luciana a vereadora em 2012, será realizado o ato do dia 6, às 18h30min, no auditório da Faculdade de Direito da Ufrgs (Av. João Pessoa, 80 – Centro). “É um movimento político que começa nesta segunda-feira, mas seguirá adiante, com abaixo-assinado, inclusive”, conta a deputada.

Com a procuradora Simone Mariano da Rocha (Fotos: MP/RS)

“Estão confirmadas as presenças do próprio Tarso, dos nossos senadores Pedro Simon, Sérgio Zambiase e Paulo Paim, e também da senadora eleita, Ana Amélia Lemos, de deputados até de partidos totalmente diferentes do PSOL, como Onyx Lorenzoni, do DEM. Também estive com o presidente da OAB, com o presidente da Ajuris, com a procuradora-geral da Justiça, na Associação dos Procuradores do Ministério Público estadual. Estão todos extasiados com essa possibilidade da lei de me tornar inelegível por oito ou até 10 anos.”

A participação da sociedade no movimento será crucial para sensibilizar a Justiça Eleitoral no momento da inscrição da candidatura de Luciana. Compareça!