Luciana Genro

Plínio denuncia discriminação da mídia contra propostas transformadoras

06 de agosto de 2010 14h16

Reprodução

No debate realizado na noite desta quinta-feira, 5, entre os presidenciáveis pela Rede Bandeirantes, o candidato do PSOL, Plínio de Arruda Sampaio, fez a diferença, demonstrando a semelhança entre os projetos dos dois candidatos enfatizados pela grande mídia: José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT). Ele apontou que as diferenças entre os dois são apenas no gerenciamento da proposta de crescimento capitalista, de defesa da concentração de riqueza em curso no país nos últimos 15 anos.

Plínio denunciou ainda a discriminação que a mídia faz em relação a candidatos com propostas concretas de mudança, como é o caso do programa do PSOL, que defende a socialização da medicina e a distribuição da riqueza através da reforma agrária radical e da taxação das grandes fortunas. Ironizou a posição de Dilma sobre a reforma agrária e acusou Serra de defender o latifúndio e o agronegócio. Disse que não há interesse da mídia em mostrar propostas que questionem o atual modelo capitalista defendido pelos três candidatos, nos quais se inclui Marina Silva (PV).

A própria participação de Plínio no debate foi conseguida através de decisão do judiciário baseada na legislação que exige a participação igualitária de todos os candidatos de partidos com representação no Congresso Nacional. As empresas queriam adotar o critério formulado por elas para que só participassem do debate os candidatos com mais de três pontos nas pesquisas eleitorais.

Plínio terminou o debate nos Trending Topics do microblog Twitter, ou seja, foi um dos assuntos mais comentados na rede. Numa única noite, ganhou mais de 2 mil novos seguidores, mostrando que ao ser o único que defende propostas de transformações reais, ganha reconhecimento da população.


Fonte: fernandapsol.com.br