Luciana Genro

Câmara do DF analisa novos pedidos de impeachment

19 de fevereiro de 2010 10h05

A comissão especial da Câmara Legislativa do Distrito Federal criada para analisar o mérito dos três pedidos de impeachment contra o governador José Roberto Arruda e seu vice, Paulo Octávio, terá a primeira reunião na próxima segunda-feira, 22, às 10h. Os cinco integrantes terão que eleger o presidente, o vice-presidente e o relator dos pedidos contra os políticos. Antes disso, o governador em exercício tentará mais uma vez convencer os deputados a darem apoio político a ele.

Surpresa

A notícia da aprovação unânime dos pedidos de afastamento do cargo deixou Paulo Octávio furioso e, segundo assessores, decepcionado. Amanhã, ele espera reunir-se, às 11h, com os líderes das bancadas. O local do encontro não foi divulgado. “Ele ficou surpreso com o que aconteceu na Câmara. Mas a renúncia que não aconteceu criou mais instabilidade no DF do ponto de vista político”, analisou Paulo Tadeu (PT).

PSOL foi primeiro partido a pedir impeachment

O PSOL protocolou ainda em dezembro de 2009 pedido de impeachment de Arruda e Paulo Octávio, investigados de participar de esquema de pagamentos de propinas a deputados distritais. O documento foi entregue na presidência da Câmara Legislativa pelo presidente do PSOL no DF, Antônio Carlos de Andrade, o Toninho, e pelos parlamentares do partido.

De acordo com Toninho, os envolvidos no caso devem ser afastados imediatamente até a apuração rigorosa dos fatos. Segundo ele, as imagens e áudios divulgados demonstram a desqualificação de pessoas dos poderes Executivo e Legislativo do DF e não podem ser desconsideradas. “Não é possível esconder essa sujeira embaixo do tapete. É repugnante. Os partidos devem expurgar os distritais envolvidos.”


Com informações do Correio Braziliense