Luciana Genro

Estudantes vão às ruas por impeachment

16 de setembro de 2009 15h10

Dois importantes protestos tomaram as ruas de Porto Alegre nesta quarta-feira, 16, contra o boicote da base aliada do governo Yeda Crusius à CPI da Corrupção e em defesa do impeachment da governadora. O primeiro, ainda no início do dia, foi realizado pelo Fórum dos Servidores Estaduais, que cubriram os rostos de importantes monumentos da cidade, denunciando sua “vergonha” pelo deputado Coffy Rodrigues, relator da CPI e protagonista do boicote dos aliados à investigação.

Luciana e Fernanda (Fotos: Débora Birck)

Luciana e Fernanda (Fotos: Débora Birck)

Mais tarde, os estudantes gaúchos saíram em marcha, exigindo o impeachment de Yeda. A deputada federal Luciana Genro e a vereadora Fernanda Melchionna participaram do ato, antes de se dirigem à manifestação contra a proivatização dos Correios.

Os caras-pintadas voltaram às ruas em mais um protesto com a presença de centenas de estudantes, que reuniram-se em frente ao colégio Júlio de Castilhos. Do Julinho, os manifestantes saíram em caminhada até a Praça da Matriz. O alvo dos protestos desta vez não foi o Piratini, mas a Assembleia Legislativa.

Enquanto a maior parte dos estudantes seguia um caminhão de som pelas ruas do centro da Capital, um pequeno grupo foi até a o gabinete do deputado Coffy. O grupo de cerca de 15 estudantes, a maior parte deles do Núcleo Fora Yeda de Pelotas, entregou a ele um documento pedindo sua saída da relatoria da CPI.

“Ele está comprometido, um de seus assessores está sendo investigado pela Operação Solidária, ele não pode ficar na relatoria”, afirmou Luan Badia, estudante da UFPel. Os manifestantes pediram também celeridade nas investigações da CPI.

As centenas de estudantes que protestavam contra Yeda nas ruas logo somaram-se ao grupo que estava na Assembleia. Cantando “Ei, Coffy, pede pra sair” e palavras de ordem em protesto à governadora Yeda, os manifestantes ocuparam por alguns minutos o gabinete do deputado e os corredores da AL.

De acordo com Rodolfo Mohr, integrante do DCE da Ufrgs, o deputado os recebeu de forma respeitosa, porém, respondeu à cobrança do grupo justificando que todas as CPIs “acabam em pizza”. “Quando cobrado sobre o envolvimento de seu assessor com a corrupção no governo, Coffy calou-se.” Os estudantes apontaram que seguirão mobilizados até o dia da votação do impeachment e prometem surpresas para os próximos dias.


Com informações de Lara Nasi, assessoria de imprensa da Ver. Fernanda Melchionna