Luciana Genro

Revista Voto omite candidatura Pedro Ruas em pesquisa

13 de agosto de 2009 09h59
Candidatura foi lançada em julho (Hugo Scotte)

Candidatura foi lançada em julho (Hugo Scotte)

O PSOL vai processar a revista Voto por ter excluído de sua pesquisa estimulada de intenção de voto para o governo gaúcho o vereador Pedro Ruas, cuja candidatura foi lançada oficialmente em 12 de julho, durante congresso estadual do partido, com ampla divulgação. Em levantamento anterior divulgado pela mesma publicação, quando Ruas nem era ainda pré-candidato, o vereador chegou a receber 5% das intenções de voto.

Na opinião do presidente estadual do partido, Roberto Robaina, a própria capa da última edição da revista é “escandalosa”: “Tenta abafar a crise com um suposto início da corrida eleitoral. E as pesquisas Datafolha? E os lançamentos de pré-candidatos? Esqueceram-se disso tudo? Parece que sim. Na ‘operação abafa’ da crise, sobrou mais uma para o PSOL. O pré-candidato do partido – lançado no dia 12 de julho, caso não tenham lido nos jornais diários -, vereador Pedro Ruas, foi excluído da pesquisa.”

A deputada federal Luciana Genro enviou carta aberta ao editor e à diretora-executiva da publicação, Emanuel Mattos e Karim Miskulin, manifestando sua indignação com o “esquecimento” de Ruas. No texto, a parlamentar se diz “estarrecida” e aponta a má cobertura sobre os escândalos no governo Yeda Crusius, cuja própria revista chama de “maior crise política dos últimos tempos”, mas dá pouco destaque.

Confira a carta de Luciana:

“Prezados Emanuel e Karim,

Fiquei estarrecida ao ver o novo número da Revista Voto. Sempre soube que a revista tinha preferência pelo lado tucano-peemedebista, mas desta vez vocês passaram dos limites. A ‘maior crise política’ do Rio Grande do Sul, na definição da própria revista, mereceu a cobertura de uma pobre e mal redigida matéria de uma página. Em um texto digno de um estudante de primeiro semestre de Jornalismo, as únicas aspas são da Yeda e do advogado dela, Fábio Medina Osório, enquanto o PSOL, um dos protagonistas mais importantes para a exposição da crise, não existe. Aliás, em outro número vocês já tinham posto numa das coluninhas um comentário mentiroso a meu respeito. Neste número, a análise (???) da crise é totalmente a favor de Yeda. A própria capa da revista é escandalosa, pois tenta abafar a crise com um suposto ‘início’ da corrida eleitoral. E as pesquisas do Datafolha? E os lançamentos de pré-candidatos? Esqueceram-se disso tudo? Parece que sim. Na ‘operação abafa’ da crise, sobrou mais uma para o PSOL. O pré-candidato do partido (lançado dia 12 de julho, caso vocês não tenham lido nos jornais diários), vereador Pedro Ruas, foi excluído da pesquisa. O arremate patético ficou por conta das 7 (!!!) páginas para o ex-senador Paulo Brossard. Com todo o respeito pelo valor arqueológico da ilustre figura, enquanto o PSOL só existe na coluna do “boy George” como alvo de ataques, o ex-senador recebe 7 páginas para falar do passado. É incrível. Mas tudo bem. Quanto à exclusão do Ruas da pesquisa, vamos resolver com um processo judicial. De resto, não será difícil mostrar aos leitores que a revista gosta mesmo é da Yeda e da quadrilha que há tempos saqueia os cofres públicos na mesma velocidade em que deixa a gripe suína tomar conta do Estado. Aliás, assunto que também ficou fora da pauta. Parece até ironia.

Saudações,

Luciana Genro”