Luciana Genro

Militância apóia Pedro Ruas em audiência contra Crusius

12 de agosto de 2009 10h00

Seguranças do marido da governadora agrediram manifestantes e tentaram impedir trabalho da imprensa

Fotos: Hugo Scotte

Fotos: Hugo Scotte

Nesta terça-feira, 11, o vereador e advogado Pedro Ruas compareceu à audiência da queixa-crime movida pelo marido da governadora gaúcha, Carlos Crusius, no Juizado Criminal Especial, no Foro Central. Crusius acusa Ruas de injúria, calúnia e difamação, por ter declarado que o professor “furtou dinheiro da campanha de 2006”, durante uma edição do programa Conversas Cruzadas, da TVCOM, em maio. A declaração do vereador se baseia em provas documentais que, na época, estavam em posse do Ministério Público Federal, e que nesta semana foram tornadas públicas.

Sala de Audiências

Sala de Audiências

Ruas compareceu à audiência de conciliação ao lado de sua esposa e advogada, Ester Ramos, e da deputada federal licenciada Luciana Genro, que é estudante de Direito. Também foram ao Foro apoiar o vereador militantes do PSOL, inclusive o presidente estadual, Roberto Robaina, e a vereadora Fernanda Melchionna. Para Ruas, a audiência foi “muito boa”: “Reafirmamos nossas declarações e posições, portanto, não há possibilidade de conciliação, na área civil, nem de transação, na penal.” A próxima audiência, onde serão apresentados dados e provas, ainda não foi agendada.

Para o vereador, o governo está numa posição defensiva, pois não param de surgir denúncias. “Inclusive, a decisão da juíza Simone Barbisan, de não pedir o afastamento da governadora Yeda Crusius já era esperada. É natural não dar a liminar neste momento, o que não impede que seja feito mais tarde. Ou até que a governadora seja afastada por outras vias, como o impeachment.”

Truculência

Segurança cubriu câmera de equipe da RBS TV

Segurança cubriu câmera de equipe da RBS TV

A militância do PSOL acompanhou Pedro Ruas até a Sala de Audiências, pontualmente, às 13h30min. A segurança do Foro impediu que os militantes permanecessem nos corredores durante a audiência e os retirou a empurrões, inclusive o presidente Roberto Robaina. No tumulto, a advogada Ester Ramos e profissionais da imprensa também foram agredidos pelos seguranças. O chefe da segurança justificou que não poderiam ser feitas imagens no local. “Mas isso lhes dá o direito de agir com essa truculência?”, questionou a repórter da RBS TV, Patrícia Cavalheiro.

Os jornalistas receberam a informação de que seguranças de Carlos Crusius participaram da ação. Quando os manifestantes saíram, Crusius entrou para a audiência, com 20 minutos de atraso. Então, foi permitido o acesso a fotógrafos e cinegrafistas. Na saída do Foro, Ruas e Luciana foram saudados pela militância, que aguardou embaixo do prédio. O marido da governadora foi recebido com gritos de “Crusius, ladrão, vai sair de camburão!”.