Luciana Genro

Greve de militares em Roraima recebe apoio de Luciana

16 de abril de 2009 11h53

A greve dos policiais e bombeiros militares de Roraima recebeu mais um esforço e, desta vez, não é alguém de dentro do Estado. O apoio externo é a deputada federal Luciana Genro, relatora do projeto de lei que visa à anistia de policiais e bombeiros militares envolvidos num movimento semelhante no Rio Grande do Norte, e que tramita no Senado.

A parlamentar chegou a Roraima nesta quarta-feira, 15, e se reuniu com as lideranças do movimento grevista, ocasião em que se aprofundou nas reivindicações feitas ao governo do Estado. Depois, em companhia dos deputados estaduais Ionilson Sampaio (PMDB) e Flamarion Portela (PTC), se encontrou com os secretários de Estado Cláudio Lima (Segurança Pública) e Gerson Chagas (Justiça e Cidadania), levando as solicitações feitas pelos grevistas.

Fim de movimento depende de decisão política, afirma Luciana

Luciana enfatizou aos secretários que o fim da manifestação depende de ação política, considerando que a proposta referente ao reajuste salarial oferecida pelo governo estadual foi aceita pelos PMs aquartelados: “Os policiais e bombeiros militares precisam de garantias para então retornar ao trabalho, pois seria suicídio sair do movimento sem deixar amarrada a anistia de seus líderes.”

Ainda durante a manhã, a deputada se reuniu com movimentos sociais, como o MST – Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, e visitou a sede provisória da Assembleia Legislativa de Roraima, na Casa Paulo VI. O deputado Sampaio disse que a visita da deputada foi positiva, a considerar pelos rumos tomados pela greve em Roraima: “Acreditamos que ela tem respaldo para tal negociação, já que é relatora de um projeto de lei que visa a anistiar militares grevistas no Rio Grande do Norte, podendo nos ajudar a encontrar uma solução plausível para o caso.”

O movimento ganha mais força, diz liderança

Contentes pelo apoio dado pela deputada Luciana Genro, as lideranças do movimento grevista afirmaram ter mais motivação para continuar sua manifestação, que hoje completa 18 dias e que parou mais de 800 policiais e bombeiros militares.

Segundo Francisco Sampaio, presidente da APBM – Associação dos Policiais e Bombeiros Militares, a força dada pela parlamentar é mais do que válida, embora fosse mais necessário que o apoio surgisse de dentro do Estado. “Isso é uma vergonha para Roraima. Tivemos que receber ajuda de pessoas que não vivem em nossa realidade, quando aqui dentro mesmo nós poderíamos resolver os nossos próprios problemas. Mas estamos confiantes de que a ajuda e a dedicação da Luciana Genro vai dar um rumo diferente ao movimento.”

Ele destacou que na reunião com os manifestantes, a deputada prometeu levar as reivindicações diretamente ao ministro da Justiça, Tarso Genro, e também a Ricardo Ballestreri, atual secretário nacional de Segurança Pública. Possivelmente, um grupo de integrantes do movimento viaje a Brasília para buscar uma audiência com a Comissão de Direitos Humanos do Senado. “Vamos mostrar a eles o que nós estamos passando”, enfatizou o presidente.

Fonte: Roraima Hoje