Luciana Genro

Fasubra aprova moção de solidariedade a Luciana

19 de março de 2009 16h44

A plenária nacional da Fasubra – Federação de Sindicatos de Trabalhadores das Universidades Brasileiras, reunida em Brasília de 6 a 8 de março, com representantes de quase todos os estados, aprovou moção de apoio e solidariedade à deputada federal Luciana Genro.

No último dia 5, o PSDB, por intermédio de seu líder de bancada na Câmara Federal, José Aníbal (SP), entrou com representação no Conselho de Ética contra a deputada. Essa tentativa tucana de cercear o livre exercício do mandato parlamentar não passará.

A classe trabalhadora e a sociedade que não se rendem em combater intransigentemente a corrupção, e resistirão contra essa medida autoritária e antidemocrática. A representação do PSDB contra Luciana é uma vergonha. É absurda e insustentável pelas seguintes razões, elencadas pela entidade:

1) tenta impedir o livre exercício do mandato parlamentar;

2) é um ataque antidemocrático ao tentar cercear o dever de todo o parlamentar que cumpre suas obrigações constitucionais, sob pena de prevaricação: fiscalizar o Executivo. A direita reacionária representada nesse ato pelo PSDB não deseja ver seus governos sendo fiscalizados pelo povo ou por seus representantes;

3) em sua representação diz que Luciana Genro não poderia ter denunciado mesmo que suas denúncias sejam comprovadas. Ou seja, segundo o PSDB, Luciana teria que guardar silêncio mesmo depois de ter recebido documentação que comprova a corrupção no governo do PSDB gaúcho.

“Os trabalhadores em educação do ensino superior, representados na plenária nacional, entenderam que a tentativa de inibir e calar a parlamentar não são ataques apenas a Luciana Genro e ao PSOL, e sim a todos os deputados que têm coragem de lutar pelos interesses do povo brasileiro, em especial pelo estado pelo qual foram eleitos. Isso é um ataque contra a democracia e contra a justiça.

Por isso, nos colocamos ao lado da deputada em sua atitude corajosa e destemida de denunciar as arbitrariedades através dos meios de comunicação. Não toleramos a corrupção nem os crimes de colarinho branco, em hipótese alguma. Exigimos uma investigação criteriosa por parte do Ministério Público e da Polícia Federal no sentido de colocar na cadeia e cassar todos os mandatos dos corruptos e criminosos da administração pública.

A Plenária aproveita o ensejo para agradecer a deputada pela emenda para que possamos construir nosso centro de formação e solicita que se manifeste contra a mais esse ataque da imprensa burguesa a serviço do capital que vem sistematicamente atacando as organizações e entidades de classe como a Fasubra e o MST.”

Fonte: Fasubra