Luciana Genro

Priorizar a cultura

A cultura normalmente é uma das áreas tratadas com desprezo e distanciamento pela maioria dos gestores públicos. Porém, acreditamos que o Estado tem um papel fundamental de ser um mobilizador e apoiador das diversas formas de artes, da produção artística e da cultura, seja erudita ou popular. Cabe ao Estado a promoção da cultura como uma das esferas da gestão de todos os municípios, criando verdadeiramente um sistema estadual da cultura, com ampla participação da sociedade.

É preciso consolidar os orçamentos de cultura e garantir os investimentos na área. No RS, Sartori atacou mais esse setor e diminui os repasses para a cultura, além de fundir a Secretaria da Cultura com as de Turismo e Esporte.

Esse desmonte dos equipamentos culturais precisa acabar. Não existe transformação social, principalmente para a juventude, sem investimentos em educação, cultura, esporte e lazer. Os espaços destinados às atividades culturais são fundamentais num processo de formação cidadã, que caminha ao lado das escolas, garantindo mais um espaço de acesso ao conhecimento. No centro cultural cada um é um agente, desde o momento que vai usufruir de um bem cultural até o momento que vai produzir ou apresentar sua produção.

É preciso ainda preservar, reconehcer a diversidade e democratizar o patrimômio artístico e cultural do Rio Grande do Sul.

Ampliar os investimentos, garantir infraestrutura e incentivar a cultura das periferias

O PSOL tem uma trajetória reconhecida de luta pela cultura no Rio Grande do Sul e no Brasil. Em Porto Alegre, estivemos na linha de frente da defesa dos espaços públicos da cidade e de uma solução negociada para os conflitos envolvendo a vida noturna no bairro Cidade Baixa e o trabalho dos músicos. Em 2016, quando disputou a prefeitura da Capital, Luciana Genro realizou uma ampla reunião pública com a comunidade cultural, com artistas de diversas vertentes e agitadores para ouvir suas demandas e formular seu programa de governo. Como deputada Luciana vai seguir esta prática, ouvindo, debatendo e encaminhando as demandas da comunidade cultural.

Apoiar o Carnaval, instrumento de resistência popular

Nos últimos anos, a realização do Carnaval vem sendo atacada pelo poder público, especialmente em Porto Alegre. A realização dos desfiles longe do centro da cidade e o consequente abandono do Porto Seco são a prova para atacar as escolas de samba e a festa do povo. O orçamento destinado para a Cultura mingua ano após ano e os cortes destinados para as escolas de samba ilustram como os governos relegam sempre ao segundo plano os investimentos em realizações culturais populares.

Garantir a manutenção das escolas de samba, representantes da resistência popular, é combater a segregação das manifestações culturais de matriz afrobrasileira e valorizar as comunidades que vivem e se dedicam a manter viva esta história.

Nossa luta inclui também a volta da realização do desfile anual e o apoio a construção de um calendário carnavalesco também com blocos de rua.

Investir em cultura é combater a violência

Já mostramos aqui o que Luciana Genro pensa e defende sobre segurança pública. Mas é preciso dizer com todas as letras que investir em cultura também é uma forma de combate à violência. Valorizar os espaços públicos dos municípios com atividades artísticas e de lazer é tornar nossas cidades mais seguras. Garantir que as periferias possuam equipamentos culturais é retirar a juventude pobre das mãos do narcotráfico e oferecer uma alternativa.

Emancipa Cultura e a parceria com o hip hop

Como fundadora e presidente da ONG Emancipa – Educação Popular, Luciana Genro desenvolveu uma forte parceria com artistas do rap e agitadores do hip hop através do Emancipa Cultura. Foi apoiadora do Festival Zumbi dos Palmares, que trouxe a Porto Alegre o rapper MV Bill, e também trouxe a Porto Alegre e Charqueadas o rapper Eduardo, ex-integrante do grupo Facção Central. Queremos que iniciativas como essa se ampliem em todo o estado!

Editais de fomento à cultura

O governo do estado precisa assumir para si o papel de fomentar a cultura. Vamos lutar para que os editais que contemplam as mais diversas formas de manifestações artísticas saiam do papel e tenham seus recursos garantidos. É preciso incentivar ainda a criação de Fundos de Cultura. No governo Olívio Dutra, foi criado o Fundo de Amparo à Cultura (FAC), nunca implementado na prática.

Revogação da extinção da TVE e da Rádio FM Cultura

A tentativa de extinção da Fundação Piratini demonstrou o descaso do governo estadual com a livre expressão artística e cultural. Luciana Genro esteve lado a lado dos servidores públicos na luta contra a extinção das fundações. Defender a cultura no Rio Grande do Sul é defender que a TVE e que a Rádio FM Cultura sejam públicas e de qualidade, com liberdade para exibir uma programação educativa e sem amarras aos governos de turno. O mandato de Luciana Genro na Assembleia Legislativa será uma trincheira pela revogação da extinção da TVE.

—-> Quer saber o que mais defendemos para a cultura? Veja o programa completo de Roberto Robaina e da Professora Camila ao governo do estado!